quinta-feira, 28 de abril de 2011

Intimidade enigmatica

Ao fechar os olhos se vê uma luz vermelha que aos poucos enegrece seu mundo para lentamente iluminar sua alma. A primeira parte que se pode tocar é uma nuvem macia e suave que guarda a imagem que os outros veem, a figura de uma pessoa até que bonita mas que não sabe se vestir, que anda parecendo um pinguim, sem expressão, e sem talentos, uma figura esquisita e estranha aos olhos do mundo.

Na segunda parte se vê uma figura confusa, de formas distorcidas, por pensamentos que vão do absurdo ao ilógico, sem nenhuma noção de realidade ou de formalidade. Emoções tão absurdas quanto os pensamento... lembra uma pessoa retardada, uma grande trouxa que deveria estar num circo.

Na terceira parte vemos uma figura apagada, consumida por medos e traumas, uma ovelha cercada por lobos famintos, insegura de si mesma, sem confiança, uma marionete sem graça.

Na quarta parte vemos um abismo se formar, mostrando um monstro cruel e assassino com sede de sangue, num ambiente de morte e destruição, onde só existe o mal, um lugar escuro e sem vida...

Na quinta parte vemos um deserto misterioso, onde esconde-se tesouros e também demônios, e muitas marcas do passado.

Na sexta parte vemos uma muralha e um enorme portão fechado, são todas as barreiras que surgiram durante a caminhada, são resistências e feridas que lacram o portão. É uma das mais complexas figuras pois o portão tem em si cada uma das partes anteriores.

Na sétima parte fica o lado de dentro do grande portão, é um universo silencioso que reune tudo que há e não há, é como voar pelo negro e pelo branco de um tao.

E na oitava e última parte existe um anjo, uma fonte de amor e vida que jorra incessantemente, um pequeno éden, onde sonhos e desejos nascem, um lugar lindo, inimaginável, que só se pode sentir e saborear na transcendência do amor.

Todas essas partes pertencem a mim, uma alienigina na terra, um ser humano buscando criar-se e recriar-se como experiência de Deus.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Estranhezas...

Quero viver uma amizade pura em que o silêncio fale como palavras, que o olhar seja transparente, não tendo medo de compartilhar profundamente as belezas e tristezas da vida. Acolher cada pessoa como ser humano, uma fantástica criação divina essencialmente boa que esconde mais mistérios que o próprio universo. E sendo assim fazer parte de uma grande família, que ainda não acreditamos ser a humanidade e tudo que a cerca. Ter o amor como fonte da nossa existência.

Saborear os nasceres e pores- de- sol; as vozes do vento, o canto das estrelas e das flores, a dança das nuvens, a magia do sorriso das crianças, ... Inebriar-se com o perfume das frutas de um pomar, da terra molhada pela chuva, dos arco-íris e sonhos apaixonados, ... viver a arte de viver intensamente e verdadeiramente... sem culpa de ser diferente....

Ser feliz como brincar sendo criança... sonhando a magia de existir...    

Vivendo...

Um mundo de sonhos é maior que um mundo de frias ideias. Sonhos são doces frutos da alma que dão um sabor especial a nossa existência. O mundo desta jovem sonhadora se transforma conforme ela dança este baile mágico que é a vida. Hoje seu mundo é sua alma, é a cadeia de montanhas que escolheu ser.

As lágrimas formam lindas cachoeiras e cascatas de água salgada, que levam a um mar agridoce de ternura e amor. Os sonhos mudaram... os sentimentos e pensamentos também... o esquecimento vez seu trabalho e levou consigo o que já não tem mais sentido... o tempo começa a florescer alguns de seus frutos... revelando segredos e sabores esquecidos na eternidade da alma.

O silêncio é amigo e um grande mestre, e é nele que me guardo neste momento mágico de transformação. Nele mergulho para continuar a florescer meu jardim existêncial.

...