quarta-feira, 25 de abril de 2012

Sinto-me pesada, como se carregasse pedras enormes na subida de uma montanha. Pesa-me um passado inicialmente feliz e depois desastroso. A insegurança me corrói, enfrentar negações me põe sobre pressão e as lágrimas rolam... perco meu chão, minha direção, confiança e esperança. Sinto-me inferior aos outros, um peso na vida dos que me rodeiam. Vejo-me como uma pessoa odiosa, que não deveria ter vindo ao mundo. Alguém  que não merece a dádiva da vida, já que não sabe usufruí-la.

Passo pela vida triste, sendo algo que não sei mais o que é. O medo é minha prisão.

palavras, gestos, desenhos não sei usar... só me resta as lágrimas, que caem silenciosas no travesseiro.

estar sozinha é uma escolha, para não atrapalhar ainda mais a vida das outras pessoas.

Não tenho direito de contaminar os outros com a minha poluição.

Devo viver cem anos de solidão...
numa jaula ou numa prisão...
na escuridão
do coração.